É o coração que nos conecta

Untitled-1_edited.jpg

Até hoje tento entender essa mágica. Num dia a gente está tentando juntar o B com o A e, no outro, queremos ler e escrever tudo para os pais, avós, vizinhos, farmacêutico, caixa do supermercado...
Aprender a ler e a escrever é maravilhoso, não é?!

Sobre mim

Uma mineira apaixonada pelo poder da leitura desde criança. Mãe coruja da Carol. Pesquisadora-amadora da literatura feminina brasileira. Mediadora de leitura. Uma sonhadora da raiz dos cachos ao dedão do pé. Uma contadora de histórias que ama palavras, palavrinhas...

Bicicleta de encontro a uma parede amarela

É como andar de bicicleta

Acho que aprender a ler e a escrever é como andar de bicicleta. No começo, rodinhas para não cair. Depois, o apoio diminui, tira-se uma rodinha e, depois a outra, quando menos se espera... A gente anda sem as duas mãos. É a glória! Os cabelos ao vento, as risadas gostosas, as aventuras, os passeios com os amigos e os tombos, é claro! São com os tombos que se aprende. E não se esquece!

Tenho saudades da época que a professora lia e relia meus textos. Saudades das orientações, dicas e puxões de orelha. E, depois de tudo corrigido, reescrito em uma nova folha, bem caprichado e sem aparas. Ah! Vinham os recadinhos e os carimbos para deixar o dia especial! Com certeza, aprender é como andar de bicicleta. A gente até leva uns tombos, às vezes fica meio enferrujado... Mas o saber é para a vida!